• Carol Mariano

Barriga de cerveja? – Calorias e Metabolismo do etanol.

Se o álcool não é nenhum macronutriente como gordura e açúcar, por exemplo, por que dizem que álcool é calórico? De maneira simples poderíamos responder “porque o álcool é fonte de carbono”, mas isso não explica muita coisa. Vamos por partes.


O que é uma caloria?

A caloria é uma unidade de medida de energia. 1 cal é a energia necessária pra elevar 1 grau celsius a temperatura de 1g de água. E 1 kcal refere-se à 1.000 calorias. As calorias dão energia pro organismo manter suas funções.


De onde tiramos as calorias?

Dos nutrientes. Bem, não de qualquer nutriente. Existem 2 classes de nutrientes na nossa dieta: os macronutrientes e os micronutrientes. “Macro” e “micro” não se referem necessariamente ao tamanho da molécula, mas sim à quantidade que devemos ingerir, ou seja, precisamos consumir mais macronutrientes do que micronutrientes e apenas os macronutrientes possuem calorias, os micronutrientes não têm calorias.


· MACRONUTRIENTES – Carboidratos (1g = 4 cal) ; Proteínas (1g = 4 cal) ; Lipídios (1g = 9 cal)


· MICRONUTRIENTES – Vitaminas & Sais minerais.

Os micronutrientes não fornecem calorias mas são importantes para inúmeras funções.


Alguns exemplos:

Vitaminas – Vitaminas do complexo B ajudam no funcionamento do metabolismo, vitamina D na fixação de cálcio etc...;

Sais minerais – O cálcio promove a conexão entre as sinapses químicas no sistema nervoso e ajuda na contração muscular, o sódio ajuda no equilíbrio da pressão arterial etc...

E onde o álcool entra aí? O consumo de álcool fornece 7 cal por grama (é mais calórico que carboidratos e proteínas, perdendo somente pros lipídios). Como acontece isso?


Metabolismo do etanol

O etanol (C2H5OH) é uma substância tóxica, e por isso o fígado precisa metabolizar o etanol em uma substância menos tóxica, virando assim o acetaldeído (C2H4O) e depois, mais uma vez o fígado metaboliza esse acetaldeído em outra substância menos tóxica, o acetato (CH3COO-)



Agora que vem o ponto chave da coisa toda: esse acetato se liga à uma enzima, chamada Coenzima A e vira Acetil-CoA. E pra quem conhece o Ciclo de Krebs, temido pelos alunos do ensino médio, vai lembrar que esse Acetil-CoA é bem conhecido. Vamos ver:




O Acetil-Coa é formado a partir da quebra de glicose, gordura ou proteína. E assim entra no Ciclo de Krebs pra fornecer energia. Só que quando tem álcool na circulação, o organismo dá prioridade pra metabolizar o álcool ao invés de utilizar o açúcar, a gordura ou a proteína que você ingeriu. O Acetil-Coa que foi formado no metabolismo do álcool, entra na mitocôndria por um “atalho” e enquanto houver álcool disponível o restante das calorias que você ingeriu não serão gastas, sendo armazenadas em forma de gordura, e aí você engorda.

Então é verdade que o álcool é calórico e dá “barriga de cerveja”? Sim. E não somente a barriga de cerveja, mas um acúmulo de gordura geral.

Além disso, o álcool aumenta os níveis de cortisol (participa do catabolismo) e diminui os níveis de testosterona(importante para o anabolismo), causando um pouco de perda da massa muscular.

O que é mais calórico cerveja ou vinho?

Não é só a cerveja a vilã da história, na verdade, quanto mais álcool uma bebida tem, mais calórica será. Se levar em conta que vinhos normalmente possuem em média 11% de álcool enquanto cerveja possui em média 5%, podemos afirmar que o vinho é bem mais calórico. Porém a cerveja acaba sendo consumida em quantidades maiores em eventos sociais. Ganhando desses dois, estão as bebidas mais fortes como cachaça e vodka, sendo a caipirinha uma das bebidas mais calóricas porquê além do álcool conta com adição de açúcar.

Curiosidade – Se carboidratos e proteínas têm a mesma quantidade de calorias (4 cal por grama) porque o carboidrato engorda mais?

O carboidrato é muito mais fácil de ser quebrado do que a proteína. Logo, uma parte da energia fornecida pelas calorias da proteína será utilizada na própria quebra, enquanto o carboidrato gasta menos energia pra ser quebrado.

O organismo também prioriza os carboidratos pra fornecer energia enquanto as proteínas são utilizadas em outras funções: síntese muscular, síntese de hormônios peptídicos etc... As proteínas só são utilizadas para fornecer energia quando há falta de carboidratos ou lipídios.


Referências

DEVLIN, T.M. Manual de Bioquímica com Correlações Clínicas, 7ª edição, São Paulo: Blücher, 2011.

NELSON, D.L. & COX, M. M. Princípios da Bioquímica de Lehninger, 5ª edição, Porto Alegre: Artmed, 2011.

ESTE CONTEÚDO É PRODUZIDO SEM ANÚNCIOS E DE FORMA VOLUNTÁRIA. POR ISSO, APOIE O NOSSO TRABALHO COMPARTILHANDO E NOS DANDO SUPORTE NAS REDES SOCIAIS!

VOCÊ PODERÁ GOSTAR:

Sobre
 

O Grupo de Pesquisas e Ensino de Ciências (GPEC) visa promover a pesquisa em ciências físicas e cursos abertos ao público geral. Buscamos sempre divulgar a ciência de modo simples e didático. Acreditamos que um bom ensino é direito de todos e que não há nada que não possa ser aprendido!

Contato
 

Escreva aqui sua mensagem ou nos contate diretamente em: